terça-feira, outubro 12, 2010

Mitos e Verdades sobre o Visual Studio 2010 ALM - Parte 2

Essa é o segundo artigo da minha série sobre mitos e verdades do Visual Studio ALM. Hoje falarei sobre três pontos: abertura da plataforma, requisitos e controle de versões.

A plataforma de ALM e desenvolvimento da Microsoft é hoje uma das mais abertas do mercado. Prova disso está nos mais de dois mil add-ins e extensões encontrados na Visual Studio Gallery. São extensões gratuitas ou pagas que potencializam ainda mais a plataforma. Além dessa gama de produtos já existentes, a Microsoft fornece uma documentação abrangente e completa da API do TFS 2010, do TFS 2010 SDK e de como extender o Visual Studio 2010. Podemos ainda encontrar centenas de aplicações, documentações e recursos extras disponíveis no CodePlex, a comunidade open source relacionada a produtos Microsoft.

O outro assunto importante e rodeado de mitos é o de Requisitos. Muitos acham que a solução de ALM da Microsoft não possui recursos para o problema de gestão de requisitos. Pois bem, para começar eliminado esse mito aponto para o Visual Studio 2010 Team Foundation Server Requirements Management Guidance. É um guia contendo "apenas" um pouco mais de 150 páginas só sobre como implementar gestão de requisitos de forma completa, tanto de modo Ágil como para atender REQM e RD do CMMI!

O guia explica como implementar a gestão de requisitos, utilizando uma série de recursos disponíveis no VS 2010 ALM. Os work items hierárquicos, que são uma novidade da versão 2010, constituem o ponto central da solução. Com eles podemos criar queries ou relatórios de rastreabilidade utilizando o SQL Server Reporting Services. Recomendo também uma extensão gratuita para o Visual Studio 2010 chamada Work Item Visualizer. Com ela é possível ver graficamente todas a rastreabilidade e dependências de um work item.

Recomendo também olhar uma ferramenta paga de parceiro: O TeamSpec, que permite integração direta entre o Microsoft Word e o Team Foundation Server 2010. Assim obtemos uma solução similar a outras ferramentas de gestão de requisitos do mercado! Não podemos esquecer também dos workbooks, que integram as estórias de usuário ou os requisitos com o Excel. São planilhas especiais que facilitam e potencializam o processo de trabalho de priorização, organização e gestão de requisitos pelos analistas de negócio e product owners. A prototipação da aplicação também é um ponto fortemente atendido na plataforma, através da ferramenta SketchFlow. Recomendo olhar com atenção os recursos e facilidades de prototipação e feedback da prototipação disponíveis.

O terceiro assunto é o de controle de versões. Hoje o TFS 2010 possui todos os recursos de um sistema avançado de controle de versões como activity-based change management (integração de check-in de código com atividades), branches, merges, histórico visual de merges, integração com build automatizado, gated check-ins, entre outras. Para facilitar o trabalho do gerente de configuração recomendo fortemente o Visual Studio TFS Branching Guide 2010, guia completo e avançado sobre controle de versões feito pelos VS ALM Rangers.

0 Comentários:

Postar um comentário

Links para este artigo:

Criar um link

<< Home


Veja as Estatísticas