quinta-feira, junho 12, 2008

Considerações sobre o RSDC 2008 em Orlando, EUA

Agora que estou de volta ao Brasil, vou compartilhar importantes informações e insights que tive ao assistir a dezenas de palestras na Rational Software Development Conference 2008 realizada em Orlando - Flórida - Estados Unidos.

Começando pelas palestras dos keynote speakers Danny Sabah, Gerente Geral da IBM Rational; Colleen Arnold, Gerente Geral da IBM Global Services; Steve Mills, executivo do IBM Software Group e Grady Booch, um dos três amigos. O que podemos tirar de ponto mais importante, especialmente para a comunidade de desenvolvimento ágil é: a IBM globalmente está adotando processos ágeis de desenvolvimento. Iniciou e já está em pleno vapor o seu uso nas equipes que desenvolvem os produtos da IBM como o WebSphere, produtos Rational, etc.

As palestras sobre Jazz mostraram claramente que o próprio produto Rational Team Concert foi desenvolvido com base em técnicas ágeis de desenvolvimento (e o Jazz foi construído usando o Jazz!). Colleen Arnold da IBM Services também declarou que já está em andamento o processo de transformação cultural para adoção de agile nas divisões de serviços. Scott Ambler, Erich Gamma, entre outros são líderes nesse processo de transformação dentro da IBM. Eles estão mentorizando equipes IBM ao redor do mundo no uso de desenvolvimento ágil com escala.

Creio que esse é mais um dos exemplos de uma gigante de software e de serviços ligados a Tecnologia da Informação que estão embarcando no uso global dos processos ágeis.

O segundo ponto importante, relacionado ao novo produto Rational Team Concert, é que agora temos uma forma ainda mais simples de obter agilidade com governança. Há muita gente que ainda acredita que existe uma dicotomia entre agilidade e governança, o que é um mito. Já tratei desse assunto em um artigo no meu blog.

Com a ferramenta Rational Team Concert podemos dizer que essa realidade da agilidade com governança se tornou ainda mais simples de atingir. Sua idéia é de ser uma robusta ferramenta de ALM (Application Lifecycle Management) colaborativa. A palavra colaboração aí é a grande novidade dentro desse novo produto. Além disso, o RTC possui um fantástico recurso que, feita a configuração e customização do processo, faz com que a equipe tenha (isso mesmo, seja obrigada!) que realizar atividades (work items) do processo que foram definidas como obrigatórias para poder continuar o seu trabalho. A ferramenta não só lembra as tarefas, como também obriga o time a realizar aquelas fundamentais. Mas é importante reforçar: a ferramenta pode ser configurada para apenas lembrar quais são as tarefas e não obrigar os times a fazê-las. Esse recurso é útil para empresas que precisam seguir padrões de governança como SOX, Cobit, etc e desejam definir atividades de compliance como obrigatórias dentro do processo. Mas todas as atividades podem ser opcionais, se assim for o desejo da equipe e/ou empresa!

O RTC também conta com um sistema de controle de incidências integrado com controle de versões, wiki, sistema de integração contínua e um servidor portal que gera as mais diversas métricas, relatórios e informações executivas sobre os projetos. É o nirvana dos desenvolvedores e gerentes de projeto!

E, se não bastasse, mais uma outra ótima informação para a comunidade ágil. O Rational Team Concert já vêm com dois processos pré-definidos na "caixinha": são eles o Scrum e o OpenUP. Além é claro da flexibilidade que o RTC fornece para a equipe configurar seu próprio processo.

Posso resumir então os principais toques e insights dessa conferência em:

1 - A IBM, como todas as outras gigantes produtoras de software, já embarcaram e entraram de cabeça no mundo do desenvolvimento ágil... só falta você :-) .

2 - O lançamento oficial do Rational Team Concert eleva a um novo patamar a necessária integração entre Agilidade e Governança. A governança agora pode existir sem muitos empecilhos e burocracia, graças à automação proporcionada pela ferramenta.

Com certeza, duas grandes notícias para a indústria de Tecnologia da Informação do Brasil e do mundo!

Futuramente escreverei artigos descrevendo em mais detalhes as mais importantes funcionalidades do Rational Team Concert e como estas auxiliam na adoção de processos ágeis no desenvolvimento de software.

Marcadores:

7 Comentários:

At 2:10 PM, Blogger Francisco Trindade disse...

"Além disso, o RTC possui um fantástico recurso que, feita a configuração e customização do processo, faz com que a equipe tenha (isso mesmo, seja obrigada!) que realizar atividades (work items) do processo que foram definidas como obrigatórias para poder continuar o seu trabalho. A ferramenta não só lembra as tarefas, como também obriga o time a realizar aquelas fundamentais."

Nao vejo como isso possa ser bom para qualquer projeto. Se no meio acharmos que algumas tarefas nao devem mais ser realizadas, vamos ter q continuar fazendo, ou na melhor das hipoteses reconfigurar o sistema...

[]'s
Francisco Trindade
ThoughtWorks UK
http://franktrindade.wordpress.com

 
At 2:17 PM, Blogger José Papo, MSc disse...

Olá Francisco,


Essa funcionalidade não é obrigatória. Você pode ter um processo em que tudo é opcional. A IBM criou essa funcionalidade especificamente para um grande segmento de empresas que precisa seguir padrões de governança de TI como SOX, Cobit, regulamentos do departamento de saúde americano, etc. Para essas empresas poder definir um processo que deve ser seguido obrigatoriamente é crucial.

O legal da ferramenta é que você pode usá-la tanto para que ela apenas lembre o que deve ser feito como, se necessário para questões de governança, que ela obrigue a realização do work item.

Foi um ponto interessante e acho que meu artigo realmente não ficou claro nisso. Vou atualizá-lo para reforçar que você pode deixar todas as atividades como opcionais.

 
At 11:12 AM, Blogger paulo disse...

Parabens pelo post e obrigado pelas informacoes!

 
At 1:36 PM, Blogger MichaelPimentel disse...

Bem legal esse novo produto da Rational, em alguns pontos é até bem parecido com a solução de Microsoft chamado Visual Studio Team System, que também tenta fazer o papel de um ALM... Que bom que a IBM esta tendo a visão do mundo ágil e provando uma ferramenta de apoio pra ter toda essa agilitada controlada.

 
At 11:52 AM, Blogger LuizLH disse...

Este comentário foi removido pelo autor.

 
At 11:56 AM, Blogger LuizLH disse...

é possível ser ágil e ainda assim utilizar modelo de desenvolvimento CMMI-DEV-1.2 nível 3??

As grandes empresas americanas falam muito de metodologias ágeis, como fica o modelo CMMI-DEV-1.2 para estas empresas, elas não estão mais considerando?

 
At 1:59 PM, Blogger José Papo, MSc disse...

Olá Luiz,

Sim, é possível. Porém, muitas empresas não veem como objetivo obter um Ok formal de uma avaliação CMMI. A Microsoft não tem CMMI e vende muito software. A Oracle idem. A IBM não tem CMMI nas áreas que desenvolvem produtos. Isso deveria nos levar a questionar se o formalismo de uma avaliação CMMI realmente faz a diferença para o core business de desenvolver software com qualidade e com foco no mercado.

Muitas dessas empresas estão adotando processos ágeis e etão tendo mais retorno em seu negócio do que quando apenas recebiam um selinho do SEI. Mas, para aquelas que querem também ter o selo, dou umas dicas nesse meu artigo:

http://josepaulopapo.blogspot.com/2007/01/scrum-openup-e-cmmi.html

 

Postar um comentário

Links para este artigo:

Criar um link

<< Home


Veja as Estatísticas