quarta-feira, fevereiro 14, 2007

Metodologias Ágeis, Escopo e Preço Fixo

Segue uma resposta que dei a uma pergunta na lista CMM-Brasil sobre "Como uma metodologia ágil resolve o problema cliente x escopo x preço global fixo?"

Minha resposta (que poderá ser útil aos leitores do meu blog):

Normalmente se faz assim(é uma das possibilidades mais comuns e que dão mais certo do que fazer apenas um contrato de preço fixo): Um preço global fixo é dado para as fases de Iniciação e Elaboração do RUP. Depois é dado outro preço fixo para a Construção e Transição (onde fica o esforço e o custo maior do projeto ). Dessa maneira o risco do segundo contrato fica muito menor e a contratada não precisa jogar enormes margens de risco para se proteger de projetos com grande incerteza (pois ao término da fase de elaboração você precisa atender ao objetivo de ter uma arquitetura executável estável ).

E mesmo que você tenha tudo fixo ainda dá para ser iterativo (mas não ágil).

Fiz uma palestra para o PMI-SP tratando sobre como realizar contratos melhores para projetos iterativos, com foco em RUP (que na sua versão 7 está ainda mais iterativo e deu uma forte guinada para o mundo ágil). Ele trata em mais detalhes sobre o que falei acima. Dê uma olhada em:

Palestra sobre contratos iterativos no PMI-SP


Mais um segundo assunto: Gostaria de lembrar que diversos processos ágeis e iterativos (como o RUP, OpenUP, Scrum) possuem uma forte disciplina e formalização e são, ao mesmo tempo, ágeis. Quem ainda não acredita precisa ler o livro "Managing Iterative Software Development Projects" de Bittner e Spence e o livro "Balancing Agility and Discipline" do, nada mais e nada menos, Boehm.

Ministrarei uma disciplina de pós onde falarei muito destes e outros temas. Vou disponibilizá-las online e me proponho a fazer palestras gratuitas sobre alguns dos conceitos apresentados na gestão de projetos iterativos sem perder a disciplina e a formalidade. Acho que essa dicotomia "ágil X formalismo" já furou faz tempo. Mas ela ainda vigora pois muitos ainda acham que agilidade é igual a XP que é igual a code and fix. Temos que lembrar que RUP, Scrum, OpenUP, FDD também são ágeis e possuem um nível de formalidade muito interessante para qualquer projeto.

O que se vê hoje no mercado é que muitas empresas dizem que usam o RUP mas não aplicam os princípios que estão por trás dele, especialmente o desenvolvimento iterativo. Na verdade usam os artefatos do RUP em um formato cascata, algo que inclusive é desaconselhado pela própria IBM Rational.

Marcadores:

0 Comentários:

Postar um comentário

Links para este artigo:

Criar um link

<< Home


Veja as Estatísticas